LOCALIZAÇÃO

Localizado a sudoeste da França, o vinhedo de Bordeaux possui limites geográficos com o departamento de Gironda. A região fica situada próxima ao oceano Atlântico e os rios Garonne e Dordogne. No sul, a floresta das Landes possui um papel de proteção e de regulação das temperaturas.

VINHOS

A região de Bordeaux abrange quase 120 mil hectares de vinhedos que produzem 6,5 milhões de hectolitros por ano, incluindo muitos dos mais ilustres vinhos do mundo, como os produzidos nas vinícolas de Châteaux Margaux, Haut-Brion e Cheval Blanc.

DENOMINAÇÕES

Margem esquerda:

Médoc
Os vinhos Médoc podem ser terrosos e rústicos, mas, com o aperfeiçoamento das técnicas de vinicultura, acabam desenvolvendo corpo e fineza.

Haut-Médoc
Esta denominação conta com um solo basicamente de cascalho, o que a torna ideal para a cepa principal, Cabernet Sauvignon. Além disso, a área é capaz de produzir vinhos de estrutura e de alto potencial de envelhecimento.

St-Estèphe
Com predominância das uvas Merlot, estes vinhos preenchem a boca com certa fineza e longevidade.

Pauillac
Potentes, concentrados e longevos, os vinhos desta denominação são representantes ideais dos rótulos de Médoc. Com qualidade mineral e aroma de cassis, cedro e charutos, a produção da região é marcada por um terroir completo para a Cabernet Sauvignon, sua principal cepa.

Listrac-Médoc
Oferece vinhos carnudos e aromáticos que ilustram perfeitamente a harmonia do corte da Merlot com a Cabernet Sauvignon.

Moulis
Moulis é a menor região vinícola de Bordeaux. Alguns Châteaux nela situados fazem vinhos frutados e menos intensos, mas com qualidade semelhante aos grandes rótulos Haut-Médoc.

Margaux
Faz vinhos de corpo delicado, aroma fragrante e bela estrutura de taninos. Com 21 Châteaux classificados na AOC, a região produz um dos melhores vinhos do mundo: Château Margaux.

Pessac-Léognan
Produzindo vinhos desde a Idade Média, este distrito viticultor é o mais antigo de Bordeaux. Seus rótulos tintos são semelhantes aos de Médoc: firmes, estruturados e longevos. Embora a produção de brancos seja bem menor, os rótulos são considerados os melhores da região. São finos, cheios e persistentes, com aromas e sabores de frutas cítricas.

Graves
Os vinhos dessa região são frutados e devem ser tomados com quatro ou cinco anos. Os brancos secos de Graves podem ser de estilo vivo, fresco aromático e muito seco.

Sauternes
Sauternes é o lar de alguns vinhos mais sensualmente doces, suaves e aromáticos do mundo. A região produz vinhos ricos e opulentos representando bem o terroir.



Margem direita:

O solo calcário e a argila da margem direita fazem da Merlot, de amadurecimento precoce, a rainha dessa região de Bordeaux. As principais denominações são St-Émilion e Pomerol que produzem vinhos redondos, suculentos e bem encorpados.

Saint Émilion & Saint Émilion Grand Cru
A vinha é cultivada nessa região desde o tempo dos galo-romanos. Os vinhos trazem frutas mais suaves e certo frescor. Os mais requintados possuem estrutura elegante de taninos e uma capacidade de envelhecimento. Os estilos mais recentes são maduros, escuros e concentrados.

Saint Émilion Satellites
A cepa dominante é a Merlot e os vinhos são de estilo semelhante ao do St. Émilion, apenas um pouco mais rústicos.

Pomerol
Os vinhos Pomerol são os mais sedutores, ricos e suaves. Com uma textura aveludada e um buquê suntuoso sobre uma estrutura firme, os vinhos desta região envelhecem muito bem.

Lalande de Pomerol
Merlot é a cepa que domina 75% dos vinhedos. Suas áreas possuem potencial para fazer vinhos semelhantes aos de Pomerol, com o mesmo peso e capacidade de envelhecer.

Fronsac & Canon-Fronsac
Esse vinhedo compete com os vinhos de St. Émillion, nos quais a principal vinha da região é Merlot (78%). Seus rótulos têm potência e concentração naturais mas tendem à adstringência e à rusticidade se não forem produzidos com cuidado.

Côtes de Castillon & Bordeaux Côtes de Francs
As cepas Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc prevalecem e têm papel principal nos tintos que são menos aromáticos, mas de presença firme e linear na boca. Os brancos são ricos, cheios e fragrantes, com boa acidez.

Côtes de Bourg
Principal cepa tinta é a Merlot, mas os vinhos são muito misturados, incluindo, às vezes, a Malbec, que ocupa 6% dos vinhedos. Os rótulos são encorpados e firmes, de cor profunda e fruta terrosa. Há também uma pequena produção de vinhos brancos.

Blaye, Côtes de Blaye & Premières Côtes de Blaye
Mais de 90% da produção é rotulada como AOC Première Côtes de Blaye. A cepa predominante é a Merlot, mas os vinhos são mais vivos que os de Côtes de Bourg, com menos peso e estrutura. Os brancos, em geral de bom valor, tem predomínio de Sauvignon Blanc e podem ser frescos, frutados e generosos.



Entre-Deux-Mers:

Localizada entre os rios Garonne e Dordogne, produz inúmeros rótulos de Bordeaux tinto e supérieur, além de branco doce.

Entre-Deux-Mers & Haut Benauge
Esta região é conhecida pelos vinhos brancos secos feitos de uma mistura clássica das cepas Sauvignon Blanc, Sémillon e Muscadelle. São rótulos vivos, frescos e frutados para serem bebidos jovens, geralmente, de bom valor.

Graves de Vayres
A produção desta denominação é predominantemente de vinhos tintos leves e frutados. Além disso, produz um volume limitado de branco secos.

Premiéres Côtes de Bordeaux
Produzindo principalmente vinhos tintos, esta região é marcada pela predominância de Merlot. Contudo, seus vinhos são misturas em que Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc têm papeis importantes. Os rótulos são vivazes, frutados e de médio corpo para consumo entre três e cinco anos.

Cadillac, Loupiac & Ste-Croix-Du-Mont
Nessas regiões, os vinhos são menos potentes e concentrados que os Sauternes. Os Loupiac são um pouco mais frescos com uma notória acidez, enquanto os Cadillac fazem estilos que variam do rico e exótico ao meio-doce.

TERROIR

Os terroirs do vinhedo de Bordeaux se distinguem por sua situação geográfica em relação aos rios Garonne e Dordogne. Na margem esquerda do Garonne e ao longo do estuário da Gironda, as aluviões dominam o vinhedo por mais de 150 km. São essencialmente Graves: seixos e saibros dos Pirineus, onde o rio tem sua nascente a 600 km a montante. Esses Graves sobre a areia criam terraços bem drenados, quentes e perfeitos para a videira e, em especial, para a Cabernet-Sauvignon. Do outro lado do rio, os terroirs possuem uma origem diferente, com costas e colinas argilo-calcárias e solos mais profundos, ideais para a Merlot, por exemplo.

VINHEDOS

Vinhos tintos:

Merlot
Cobrindo cerca de 50% do vinhedo, ela produz vinhos leves, coloridos e alcoolizados. Ela está presente em todas as denominações bordalesas e participa de 70% das assemblagens dos vinhos de Pomerol, por exemplo.

Cabernet-Sauvignon
De maturação bastante tardia, ela representa 30% da variedade de castas bordalesas. Fartamente carregada em taninos, ela produz vinhos bem estruturados, aptos ao envelhecimento, marcados por taninos. Os aromas evocados são os de violeta e de cassis. Ela participa das assemblagens de todas as denominações bordelasas e, particularmente, dos vinhos do Médoc (Pauillac, Margaux, Saint- Estèphe etc.) e dos vinhos de Graves (Pessac-Léognan).

Cabernet-Franc
Com uma maturação próxima à do Merlot, ela ocupa 15% do vinhedo e se distingue por sua delicadeza aromática, seus aromas com notas de especiarias e boa aptidão ao envelhecimento. Ela está presente nas assemblagens de todos os vinhos de Bordeaux e ocupa, principalmente, um lugar importante no vinhedo de Saint-Émilion.

Malbec
Casta precoce que produz vinhos coloridos, taninosos, aptos ao envelhecimento. Sua vinificação de rosé produz igualmente ótimos resultados.

Petit Verdot
Casta bastante tardia que não apresenta particulares às doenças. Ela permite a elaboração de vinhos bem coloridos, vigorosos, taninosos e vivos graças à sua riqueza em açúcares e à sua alta acidez. Ele imprime vivacidade, frescor e notas de especiarias nas assemblagens.



Vinhos brancos:

Sauvignon
Representa 20% das castas bordalesas e produz vinhos bastante aromáticos. Ela produz, sobretudo, os vinhos brancos secos de Bordeaux.

Sémillon
Cobrindo 60% do vinhedo, ela produz vinhos elegantes, distintos e que aceitam bem as características do terreno. Ela está presente em todos os vinhos brancos de Bordeaux e, particularmente, nos vinhos licorosos (Sauternes).

Muscadelle
Variedade bastante sensível que apresenta características aromáticas interessantes e produz vinhos finos e delicados.

PARTICULARIDADES

Classificação dos Bordeaux de 1855

Por ocasião da exposição universal de Paris em 1855, a Câmara de Comércio de Bordeaux solicitou ao Sindicato dos agentes e negociantes a elaboração de uma lista de todos os Crus Classés do departamento, com uma triagem por comuna e por classe. Essa classificação foi publicada em 8 de abril de 1855, porém não estava completa, uma vez que somente levava em conta os grandes Crus Classés do Médoc, ao qual se acrescentava o Château Haut-Brion no vinhedo de Graves. Essa lista vinha acompanhada daquelas dos vinhos brancos provenientes das cinco comunas ostentando denominações Sauternes et Barsac. Essa classificação sofreu apenas uma modificação importante: pela portaria de 21 de junho de 1973, o Château Mouton-Rothschild foi promovido à categoria de Premier Cru.

Classificação dos Crus Bourgeois de 2003

Desde 1932, existe uma classificação não oficial dita dos Crus Bourgeois para vinhos do Médoc e do Haut-Médoc. Ela englobava 444 crus de menor prestígio do que os Crus constantes na classificação inicial de 1855. A partir de uma portaria ministerial de 2003, uma classificação oficial dos Crus Bourgeois do Médoc, revista a cada doze anos, foi estabelecida por um júri. Essa classificação considerou 247 Crus (dentre 487 Crus candidatos), estabelecendo uma hierarquia em três categorias: Cru Bourgeois excepcional (nove Crus), Cru Bourgeois superior (87 Crus) e Cru Bourgeois (151 Crus).

Classificação dos Graves

O Sindicato vinícola e o Instituto Nacional das Denominações de Origem estabeleceram uma classificação dos vinhos de Graves, oficializada pelo Decreto ministerial de 16 de fevereiro de 1959. Esta classificação não faz hierarquia entre os diferentes Crus Classés, totalizando 16 Crus Classés de Graves localizados na denominação Pessac-Léognan.

CONHEÇA OS VINHOS DESTA REGIÃO