Conheça os vinhos da região de Côtes du Rhône

  • nota1
    • 89 JD
    nota2
    • 89 WA
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
  • nota1
    nota2
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
    Lançamentos
    • Novo Produto
  • vinho-rose-frances-cotes-du-rhone-la-garelle-merlot-syrah
    25,0 %
    nota1
    nota2
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
    De: R$ 139,00 Por: R$ 104,25
  • nota1
    nota2
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
    Por: R$ 269,00 ou 2x de R$ 134,50
  • nota1
    nota2
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
    Lançamentos
    • Novo Produto
    Por: R$ 279,00 ou 2x de R$ 139,50
  • nota1
    nota2
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
    Lançamentos
    • Novo Produto
  • nota1
    nota2
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
  • nota1
    nota2
    nota3
    nota4
    nota5
    nota6
    Lançamentos
    • Novo Produto
Mapa

Localização

O rio Rhône nasce nas regiões glaciais dos Alpes da Suíça e se dirige para oeste, se espraiando no belo lago Léman, na fronteira com a França. Penetrando o território francês, ele forma uma grande curva de 90° até que, passando pela cidade de Lyon, se dirige para o sul da França, desembocando no Mediterrâneo, próximo à Marselha. Nas encostas desse trecho francês do rio – as Côtes du Rhône –, encontram-se os melhores vinhedos do sudeste da França e seus vinhos mais afamados.

Vinhos

O Vale do rio Rhône oferece uma variedade de vinhos tintos de sabores condimentados e estimulantes. Essas características são resultado de anos de um terreno muito antigo. Estudos históricos afirmam que as Côtes du Rhône são anteriores às outras regiões vitícolas francesas. Desde o século I, a qualidade da produção impulsiona o vinhedo em seu lado comercial.

Denominações

Côtes du Rhône Norte


O vinhos brancos da sub-região Côtes du Rhône Norte têm os seguintes aromas característicos: flores de videira, abricó, violeta, espinheiro, tília, amêndoa, manga, musgo, mel e acácia. As três denominações desta sub-região são: Condrieu, Crozes Hermitage e Hermitage. Já os vinhos tintos desta sub-região têm os seguintes aromas característicos: violeta, cacau, húmus, trufa, alcaçuz, baunilha, frutas vermelhas, especiarias e couro. Suas denominações são Cornas, Côte Rotie, Crozes Hermitage, Gigondas, Hermitage e Saint Joseph.

Côtes du Rhône Sul

Os vinhos brancos da sub-região Vale do Rhône Sul têm os seguintes aromas característicos: acácia, pêssego, rosa, genêt, tília, maçã, anis e frutas exóticas. Suas denominações são Côtes du Rhône, Côtes du Rhône Villages, Vacqueyras e Luberon. Os vinhos rosé desta sub-região possuem os seguintes aromas característicos: frutas vermelhas (morango, framboesa, groselha), banana, cereja, pão grelhado e caramelo. Já suas denominações são Côtes du Rhône, Côtes du Rhône Villages e Luberon. Os vinhos tintos da sub-região Vale do Rhône Sul têm os seguintes aromas característicos: frutas vermelhas (cassis, morango, framboesa, cereja, amora), ameixa, especiarias, pimenta, canela, violeta, café, tabaco, alcaçuz, musgo, carne de veado, húmus e trufa. Suas denominações são Côtes du Rhône, Côtes du Rhône Villages, Luberon e Vacqueyras.
Banner Particularidades

Particularidades

De natureza compósita, a multiplicidade de castas é a mescla de variedades provenientes de três zonas vitícolas. A Cinsault, a Clairette e a Bourboulenc são castas nascidas nos países mediterrâneos da França. A Grenache, a Carignan e a Mourvèdre vieram das províncias da Espanha, trazidas pelo homem há cerca de dois séculos. A Syrah, a Roussanne, a Marsanne e a Viognier são provenientes da videira selvagem das florestas de Dauphiné. Entre Vienne e Valência, a videira cobre a margem direita do rio nos departamentos do Rhône, Loire e Ardèche. Na margem esquerda, ela ocupa as encostas escarpadas em torno de Tain-l'Hermitage. Esse conjunto de terroirs se caracteriza por um solo granítico e um clima continental moderado. De Livron a Montélimar, a vinha cede seu lugar a outras culturas. Atrás do desfiladeiro de Donzère, ela invade novamente as duas margens do rio, ao sul de Montélimar. Já abundante na margem direita nos departamentos de Ardèche e Gard, ela se espalha amplamente sobre a margem esquerda entre o baixo Drôme e o sul do Vaucluse. Ali a videira cresce em solos de origem calcária, recobertos de aluviões.

Terroir

O clima, de tipo mediterrâneo, é marcado pelo Mistral, um vento forte necessário para o desenvolvimento da videira. Este fenômeno é originado da diferença de pressão atmosférica entre as regiões norte e sul. A sazonalidade bastante marcada das chuvas, as temperaturas quentes e a irradiação solar excepcional caracterizam igualmente o clima dessa região. Já o solo é o resultado das incidências da vegetação e do clima ao longo dos anos. A forte personalidade do Rhône imprimiu sua marca na totalidade da bacia sedimentar, modelando os relevos e trazendo suas aluviões para criar um conjunto rico e variado.

Vinhedos